Diferença entre mediunidade e espiritismo

Uma confusão frequente, é a que gira em torno da diferença entre mediunidade e espiritismo.

Vamos tentar esclarecer:

Mediunidade não é sinonimo de espiritismo.

Espiritismo é uma ciência filosófica de consequências morais (para mais informações, ler este artigo).

Mediunidade é uma característica natural do ser humano, tão natural como ver, ouvir e falar.

Como a mediunidade é universal, existem médiuns que são católicos, outros protestantes, muçulmanos, ateus, enfim, é uma característica presente em pessoas de todo o mundo, independentemente das crenças, profissões e estatutos sociais, muitos dos médiuns desconhecem até que o são!

Usualmente utiliza-se a palavra médium para designar a pessoa que tem mediunidade ostensiva, ou seja, que se percebe claramente essa característica, no entanto:

(…) Essa faculdade é inerente ao homem. Por isso mesmo não constitui privilégio e são raras as pessoas que não a possuem pelo menos num estado rudimentar. Pode-se dizer, pois, que todos são mais ou menos médiuns. (…)

Cap. XIV de O Livro dos Médiuns

Assim, a maioria de nós será médium, embora essa mediunidade se encontre num estado latente, pelo que existem muitos espíritas que não têm mediunidade ostensiva, bem como, inúmeros médiuns de outras correntes filosóficas, ou religiosas (como já escrevemos atrás), e que obviamente não são espíritas.

O espiritismo utiliza a mediunidade como uma ferramenta para os seus estudos, tal como um astrónomo utiliza o telescópio como uma ferramenta para visualizar os astros, no espiritismo utiliza-se a mediunidade para o intercâmbio entre o mundo espiritual e o mundo material.

Existem vários tipos de mediunidade: vidência (ver espíritos), psicofonia (falar sob influencia dos espíritos), psicografia (escrever sob influencia dos espíritos) e muitas mais, mas para aprofundar conhecimentos nesta área, sugerimos O Livro dos Médiuns*, onde este tema é amplamente desenvolvido e muito bem explicado.

Ao ler este texto, percebe-se que nem todas as reuniões mediúnicas são espíritas, e é até comum ver-se anúncios de médiuns comerciantes a promover os seus serviços, nestes casos a prática da mediunidade é realizada em troca de um valor, ou em alternativa, sem qualquer valor associado, mas as pessoas deixam o que quiserem (o que na prática, é simonia na mesma). Excluindo as fraudes (que devem ser denunciadas à policia), não duvidamos que existam mediuns comerciantes que são de facto mediuns, na nossa opinião estão é a utilizar essa mediunidade de forma incorrecta, mas sobre esse tema iremos escrever noutra oportunidade.

O que é importante realçar no âmbito deste texto, é que um médium comerciante não é espírita de certeza absoluta, já que no espiritismo não se aceita nada em troca.

Por fim, outra pergunta muito habitual é: como posso saber se sou médium?

E isso não é importante!

O mais importante é a reforma íntima de cada um, sermos genuinamente bons, instruirmo-nos e ajudar o próximo dentro das nossas possibilidades. Se para além disso, começar a frequentar um centro espírita idóneo, não irão faltar oportunidades para colaborar, e se tiver algum tipo de mediunidade, terá a possibilidade de a desenvolver de uma forma controlada e em prol dos outros.

*Antes de ler O Livro dos Médiuns, deve ler pelo menos O Livro dos Espíritos.

Este texto não foi escrito segundo o novo acordo ortográfico.